racas-de-caes, caes, animais-de-estimacao -  - Saiba sobre a raça Bull Terrier

Saiba sobre a raça Bull Terrier

O surgimento do magnifico Bull Terrier na História

O Bull Terrier recente se difere muito do Bull Terrier dos anos 1800 em relação a sua concepção. O Bull Terrier tem origem em cachorros tipo Bull e Terrier, desenvolvidos como cachorros de caça e luta, atividades abolidas na Inglaterra naquele período. A sua origem é capaz de ser conectada a um indivíduo intitulado James Hinks, de Birmingham (Grã-Bretanha), que, logo depois de vários anos de experimentações, apresentou a raça no meio do século XIX.
Todavia, o primeiro surgimento da raça que, futuramente, seria cruzada com a raça Dálmata com o objetivo de se tornar o Bull Terrier que apreciamos nos dias de hoje foi gerada em meio à busca do cão de briga ideal. A batalha entre cachorros e inclusive entre cães e touros, era bastante comum na Grã-Bretanha de antigamente, ainda mesmo após a sua coibição naquele território.
Para assimilar a procedência desta raça (que pode ser considerada a alteração das miscigenações entre Bulldogs, English White Terriers e Dálmatas) é essencial compreender que os remotos Bulldogs que lhe deram origem são oriundos do cachorros mastins – constantemente usados para defrontar animais de largo porte das mais diversas espécies.
O grande objetivo era se produzir um verdadeiro cachorro para brigas, todavia, com as inúmeras combinações que foram produzidas ao longo dos tempos, deu-se origem ao que enxergamos na atualidade do Bull Terrier.

Atributos da Raça Bull Terrier

O Bull Terrier é uma raça disciplinada, extremamente tolerante perante a firmeza. Ele é muito ativo, extremamente resistente e com suas dimensões bem equilibradas. Sua cabeça é extensa, resistente e grande até o final do focinho, a superfície não possui buracos ou recortes e a mandíbula é profunda e resistente. Seus olhos são aprofundados, pequenos e em uma forma de amendoim, com olhar aguçado. As suas orelhas são verticais, levemente estreitas e próximas entre cada uma.
O seu esterno fica mais próximo do solo, demonstrando uma cernelha com enorme profundeza e o seu tronco arredondado e suas costelas são extremamente arqueadas. Seu rabo não é tão curto e sua anexação não é muito alta.
Sua pelagem é muito curta, densa e sensível no momento em que tocada. O Bull Terrier mais comum é esbranquiçado, por inteiro ou com algumas manchas em cores. E tem o Bull Terrier completamente colorido, com mínimas partes esbranquiçadas.

Como tratar de um Bull Terrier

O Bull Terrier precisa ser entretido com um bom exercício ou com impulsos intelectuais. Deixe o cachorro em um local protegido, todavia ele adora se movimentar bastante. O mais indicado é que você possua um quintal em que possa colocá-lo, entretanto nunca o deixe em áreas inteiramente sem proteção.
Ainda que o Bull Terrier seja mais dócil, carinhoso e manso, é vital que você faça com que ele brinque e despenda sua energia para não entristecê-lo, quer com você ou com todo mundo ao seu entorno. Se ele não gastar toda a força que possui aglomerada, ele pode se tornar bem mais hostil e estressado, e isto se deve a maneira como foi criado, sendo tratado como um cão de combates.
Apartamento não é o ambiente propício para se tomar conta de um Bull Terrier, já que ele carece de espaço para andar e distrair-se. Existem indivíduos que possuem espécimes como o Bull Terrier em ambientes mais fechados, em contrapartida, isso demanda demasiado empenho dos proprietários, que devem sempre instigar as distrações e a intelecção do cão (que já é crescido, tendo em mente que a raça é a sexágésima sexta colocada no ranking que marca os cães mais astutos do planeta).
Não há grandes trabalhos relativo ao pelo dessa espécie.

Vantagens de ter um Bull Terrier

Essa espécie não é recomendada para todos os indivíduos, todavia as que o possuírem irão ver diversas coisas amáveis. Seu temperamento é único. A dedicação integral e lealdade com sua família estão unidos à sua solidariedade e bisbilhotice, tornando o cão dessa espécie um parceiro toda uma existência. Ao passear com esse cão, note que ele é muito bisbilhoteiro, analisando todo lugar a sua volta e se entretendo ao mesmo tempo.
No momento em que mostram ao Bull Terrier uma peça qualquer (pode ser um bicho de pelúcia, uma bola para jogar tênis, qualquer coisa), ele vai inspecionar, satisfazer seus desejos, vai brincar com ele e, finalmente, irá começar a comer e estragar seu brinquedo. Sem utensílios para distrair-se, o Bull Terrier é, indubitavelmente, inventivo o suficiente para se conservar ativo. Esta raça, bem como as demais, gosta de estar fazendo algo a toda hora, sobretudo entreter-se.

Problemas habituais do Bull Terrier

Os distúrbios de pele são bastante usuais neste espécime, bem como a Acne ou Acrodermatite, esta já é demasiadamente mais séria, pois até os cachorrinhos são lesados por ela. A Acrodermatite é capaz de provocar até feridas em inúmeras partes do corpo físico do cão.
Um dos principais distúrbios da raça é a perda auditiva, de um ou ambos ouvidos. Acreditava-se que este problema era devido a cor branca do cachorro, daí terem sido originados cachorros mais pigmentados.
Se você gosta de cães mais subalternos, é muito melhor refletir bem antes de tê-lo, mas, caso você queira um cão autossuficiente, esse é o preferível. Essa é uma raça de característica inabalável, que dá a impressão de negar as ordens que ganha e, por isso, não recomenda-se que adquira um dono inexperiente, mas sim, um que tenha controle com relação ao cão.
Este cachorro é muito resistente ao adestramento, por isso ele leva mais tempo para aprender em relação aos outros. Ele não é hostil com pessoas estranhas, porém, se você quer que ele também seja festeiro, então é bem melhor acostumá-lo o mais cedo possível com desconhecidos.

Filhotinhos de Bull Terrier

Exatamente como os cachorros adultos, os bebêzinhos são inclusive um poço de vitalidade e têm necessidade de exercício e de monitoramento porque, como parecem estar sempre procurando algo para se divertir, se forem deixados desacompanhados por vários períodos, são capazes de ser bem destruídores. Eles também precisam ser acompanhados todo momento. Deixá-los isolados pode causar muito arrependimento posteriormente.
A pelagem desse cachorro é bastante estreita e não necessita de cuidados extremos. Se você mora em um edifício, analise bem: já que será capital auxiliá-lo a exaurir a energia de variadas maneiras.
O estágio de hostilidade e de amor de um animal está totalmente conectado com o tipo de criação e cuidado que ele ganha por parte da sua família e, logo, o Bull Terrier que adquirir bastante carinho e fixar comandos de treinamento e obediência o quanto antes esporadicamente será um cachorro agressivo.
Os Bull Terrier são extremamente resistentes, fazendo que, na ocasião em que nervosos, possam ocasionar seriíssimos problemas para aqueles que estão à sua frente. Em razão disso o amor é muito importante. Este cachorro não é ofensivo, embora, se impelido para tal atitude, pode ser comparado a um Pitbull insano.

Curiosidades sobre o Bull Terrier

Seu cachorro encontrará algo para fazer e, caso você esteja presente, o trabalho dele irá ser te fazer gargalhar. Um tanto extrovertido, não se admire se ver seu Bull Terrier disparando de um lado para o outro pelo cômodo, saltitando e agredindo utensílios sem vida somente para chamar sua atenção e revelar como é musculoso. Caso você faça parte das diversões, não vai se decepcionar.
Caso ele não consiga atrair a sua entusiasmo, aguarde. Admita ou não, o seu Bull Terrier vai te chamar. Eles vão fazer o possível para conquistar o mínimo aceitável de atenção. Sem equivocar isso com roncos (que ele emitirá na ocasião em que for preciso), seu Bull Terrrier vai tentar conversar. Assim que conseguir qualquer tipo de retorno, usará seu aparente irrestrito dicionário de maneira frequente.
Esse atributo pode parecer exótico ou inclusive como uma doença para várias pessoas, mas os proprietários se distraem. Na ocasião em que seu Bull Terrier acha-se fora de casa e acha um arbusto ou um bocado de relva elevada e escolhe se refugiar, o cão andará lentamente embaixo do arbusto e posteriormente ficará inteiramente parado.
Vendo mais próximo poderá olhar o cachorro com um olhar distante, bem como se estivesse em transe, à medida que o vento sopra calmamente em volta dos arbustos e lhe perpassa as costas. Depois de algum tempo, ele se erguerá, vai arrumar a sua pelagem e continuará a sua caminhada. E não é só com arbustos ou gramados originais, com árvores de natal inclusive já foi percebido esse tipo de atitude, que ainda é bem inexplicável.